Entrevista com Carolina de Paula, no Estadão

A Diretora Executiva do DataIESP, Carolina de Paula, também pesquisadora do Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública (LEMEP), foi entrevistada pela equipe do jornal Estado de S. Paulo a respeito da pesquisa Bolsonarismo no Brasil, publicada pelo laboratório em conjunto com o Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa (Iree). Na matéria, a cientista política explica como a pesquisa demonstra que certos aspectos do discurso pregado pelo Presidente da República não são consenso entre a maioria de seus apoiadores.

 

Quando a gente fala em família, em casamento entre pessoas do mesmo sexo, isso não é consenso. Mas quando a gente fala em família, educação das crianças… Isso sim é um dos valores mais fortes. A corrupção também é uma pauta forte para esse público e que motivou muito o voto em 2018. Quando a gente fez (a pesquisa), não tinha estourado a questão da CPI (da Covid). O que a gente percebe? Para alguns, essa agenda da corrupção foi diminuindo. São aquelas pessoas que deixaram de votar no Bolsonaro e estão aí à procura de um novo nome para 2022. Esses temas são os que mais têm consenso. Por exemplo, na questão do aumento da posse e porte de armas, existe uma tendência maior de ser contra esse aumento, que é uma agenda do Bolsonaro, mas não é uma agenda do eleitor do Bolsonaro. É uma agenda de um público muito restrito.

 

Leia a entrevista completa na página do Estadão.

Comments are closed.