Nota sobre a situação da UERJ

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil y Inglés Estadounidense. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in this site default language. You may click one of the links to switch the site language to another available language.

A UERJ é uma das maiores e mais importantes universidades brasileiras. Além de um papel destacado nas mais diversas áreas do conhecimento e na formação de várias gerações de profissionais, também é pioneira na implementação de políticas de expansão do acesso à universidade, tendo sido a primeira a adotar cotas raciais para ingresso nos cursos de graduação e, mais recentemente, também na pós-graduação. Em avaliações nacionais e internacionais consta como uma instituição de excelência, reconhecida pelo valor de sua produção científica e tecnológica, bem como pelas centenas de projetos de extensão e pelos serviços prestados à população fluminense. Apesar de sua inequívoca importância, nossa universidade passa hoje por dificuldades sem precedentes.

É notória a crise pela qual o Brasil está passando e ela se apresenta de maneira aguda no estado do Rio de Janeiro. O não pagamento e o parcelamento de salários de funcionários das áreas técnica e administrativa e dos professores, além da falta de repasses de verbas para manutenção e pagamento das empresas terceirizadas que prestam serviço de segurança e limpeza, têm levado os órgãos de gestão da universidade a adiar sucessivamente o início das aulas no ensino básico e na graduação.

No Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP), e em grande parte dos programas de pós-graduação da UERJ, as aulas estão sendo retomadas no inicio de março, em função da vinculação das atividades ao calendário nacional das agências de fomento e avaliação, principalmente a CAPES. O não atendimento às exigências desses órgãos implicaria a inviabilização dos programas, com possíveis corte de bolsas e verbas de pesquisa.

A retomada das aulas não significa, contudo, omissão diante da atual conjuntura. Alunos, funcionários e professores do IESP se reuniram no dia 7 de março e continuarão se reunindo periodicamente para discutir a situação da universidade e do instituto, propor eventos de mobilização e debates públicos de alternativas à crise, bem como para coordenar ações que permitam que as atividades essenciais possam continuar e que as dificuldades sejam enfrentadas coletivamente da maneira mais solidária possível. Além da participação permanente nas instâncias formais da universidade e em espaços como o Fórum de Diretores das Unidades Acadêmicas, apoiamos e estamos engajados nos movimentos de mobilização dos diversos segmentos da UERJ.

Para saber mais sobre a situação da UERJ e acompanhar a agenda de mobilização, recomendamos visitar a página do UERJ Resiste no Facebook. Curta e divulgue: www.facebook.com/uerjresiste

Para acompanhar as decisões institucionais da UERJ, visite a página oficial da Universidade: www.uerj.br

Para saber o posicionamento da associação de docentes e as chamadas/deliberações da Assembleias, consulte a página da Asduerj: www.asduerj.org.br

Comments are closed.