Nota de pesar pelo falecimento de Leôncio Martins Rodrigues Netto

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

É com profundo pesar que a comunidade do IESP recebe a notícia do falecimento de Leôncio Martins Rodrigues. Leôncio, ou Léo como era conhecido entre os colegas e amigos, deixa um legado de grande relevância para as ciências sociais brasileiras.

 

Juntamente com Juarez Brandão Lopes, Azis Simão, José Albertino Rodrigues e outros, ajudou a constituir e consolidar o campo de estudos do trabalho no Brasil, com pesquisas sobre operários fabris, sindicatos e centrais sindicais. Foram relevantes, em particular, seus surveys pioneiros em montadoras de automóveis, que resultaram em estudos sobre atitudes operárias frente à industrialização que, conquanto polêmicos, tiveram grande influência no debate dos anos 1960 e 70 sobre a constituição do operariado brasileiro. Depois vieram estudos sobre as centrais sindicais, sobre a crise do sindicalismo no mundo e sobre os dilemas do movimento operário diante da desindustrialização do ocidente. Léo escreveu sobre as origens sociais dos deputados constituintes, tema ao qual retornaria outras vezes, e tinha profundo conhecimento das dinâmicas dos partidos políticos.

 

Leitor atento, antenado com a literatura internacional, criativo, intelectualmente generoso (formou dezenas de doutores hoje espalhados pelas universidades brasileiras, que defenderam teses não raro contrárias a suas convicções) e solidário nas instituições que contribuiu para fundar e/ou consolidar (CEBRAP, ANPOCS, programas de pós-graduação na USP e na UNICAMP), vai fazer falta. Deixa dois filhos e sua companheira dos últimos 20 anos, Maria Tereza Sadek, nossa colega Teca.

Comments are closed.